Estudo de Caso: Criando o mascote Ricamax para a rede de autocenters Ricamar

Estudo de Caso: Criando o mascote Ricamax para a rede de autocenters Ricamar

Personagens Institucionais Estudo de Caso RICAMAX

Cliente: Rede Ricamar Pneus – Autocenter

1 – Primeiro contato

Quando o Ricardo, um dos diretores do grupo Ricamar me convidou para um bate-papo sobre a criação de um mascote para empresa, ele já tinha uma idéia sobre o que iria querer. A princípio, ele gostaria que eu desse forma a uma criatura proposta por um fabricante de infláveis, que iria ficar sobre a loja de Araruama, um prédio de grandes proporções, com capacidade de atender carros e caminhões. Ao ver o rascunho da tal criatura, refutei logo de cara. A coisa era um verdadeiro monstro de Frankenstein, mas sem o charme. Composto por partes de peças automotivas, com cabeça de pneu, braços de amortecedor e por aí vai. Um desastre visual. Com bastante tato, pois era nosso primeiro (de muito que viriam depois, ainda bem) encontro, expliquei a ele e ao Mohamed, gerente da rede, que aquele monstrengo não iria fazer nenhum favor à marca, muito pelo contrário. Não trazia nenhum dos atributos que a marca gostaria de apresentar aos clientes, não era simpático, nem agradável ao olhar… enfim, era um anti-mascote. Pedi a eles duas semanas para criar um personagem que trouxesse os atributos que a marca carregava, mas numa embalagem mais agradável ao olhar. Afinal, a rede Ricamar era uma empresa com 30 anos de tradição, muito bem posicionada no mercado, e merecia um mascote à altura.

Ricamax Voando

Ricamax Voando

De volta à prancheta, e com alguns dados passados no briefing, desenvolvi três personagens: dois eram o que hoje chamo “caras de boné”, ou seja, aqueles personagens sem sal nem açúcar, usados e abusados em diversos ramos de atividade, de farmácia à supermercado. Não têm personalidade, carisma, não contribuem com valores e nem agregam nada de especial à marca que deveriam representar. Não sabe bem o que fazer para ter um mascote? tasca um “cara de boné” lá! Mas você deve estar se perguntando: “por que então você criou dois dessas aberrações, cara-pálida?” Já explico: no briefing, eles pediam isso! Algo que fosse parecido com um mecânico, meio bonachão, de macacão… e boné. Mas eu não dei o braço a torcer. Sabia que minha idéia, guardada na manga e apresentada depois dos “caras de boné” (se bem me lembro, se pareciam um pouco com os Mário Brothers), tinha potencial, charme, e o mais importante, era a cara da marca. E lá, na terceira folha, estava ele, o simático, forte e sorridente Ricamax! Não vou mentir: não foi amor à primeira vista. Afinal, um super-herói de queixo quadrado à lá Superman fugia bastante do briefing… Mas quando apresentei minha defesa da tese, a diretoria acabou concordando. E o Ricamax venceu sua pobre concorrência, ocupando seu lugar como personagem institucional da Rede Ricamar.

Os atributos de força, confiança e simpatia estavam lá! As cores (azul e branco) falam de otimismo, esperança, técnica… e também são as cores da Rede. Logo o personagem passou a ocupar lugar de destaque na sinalização dos PDVs (banners, cartazes, posteres, adesivos), na comunicação institucional (home page, anúncios, impressos internos) e ganhou até mesmo uma série em quadrinhos, onde fala da importância da reciclagem de pneus inservíveis (ponto para a Rede Ricamar, pioneira nesta prática na Região) e da manutenção dos carros. Tudo dentro do espírito inovador e confiante da marca. Já são seis anos de parceria entre a Gico Comunicação e a Rede Ricamar, e sempre estamos encontrando novas missões pro simpático Ricamax (que, aliás, tem até identidade secreta – como um exemplar funcionário da rede Ricamar). Afinal, manter os clientes sempre ligados nas novidades da Rede é sua função!

Ricamax Correndo

Ricamax Correndo

Categorias: Comunicação EmpresarialIlustraçãoMarketingMascote